sábado, 27 de agosto de 2016

SEJA GENTIL. CADA PESSOA QUE VOCÊ ENCONTRA PODE ESTAR ENFRENTANDO UMA BATALHA DIFÍCIL

Por Barbosa Nunes(*)
Platão
Como faço em todos os meus deslocamentos, levo o nome do Grande Oriente do Brasil, que completará 195 anos em 2017 e conclamo os Irmãos a se unirem, aperfeiçoando os nossos princípios de Liberdade, Igualdade e Fraternidade. Em 16 de agosto, viagem para São Bernardo do Campo, via capital paulista. Estive na Loja Maçônica “Thomaz Idineu Galera”, em sessão de homenagens propostas pelo deputado federal maçônico Ademir Cândido, aos maçons Jaime Henrique Rodrigues e Artur Gomes de Souza. Solenidade muito bem conduzida pelo Venerável Alvarino Sbardelini e presenciada por mais de 80 maçons.
Sempre adquiro um livro em aeroporto. Li Allan Percy, consultor de várias editoras espanholas, em que o autor produz uma obra para uma reflexão sobre o nosso dia a dia, incentivando as mudanças necessárias para sairmos do mundo das idéias, colocando nossos sonhos em prática, rumo a uma vida mais sábia, iluminada e feliz. Título do livro “Platão para sonhadores”, Editora Sextante.
Platão foi filósofo e matemático ateniense, com grande influência até hoje em nossa forma de pensar. Autor de diversos diálogos filosóficos e fundador da Academia em Atenas, a primeira instituição de educação superior do mundo ocidental. Juntamente com seu mentor, Sócrates, e seu pupilo, Aristóteles, Platão ajudou a construir os alicerces da filosofia natural, da ciência e da filosofia ocidental. Viveu de 427 a 347 a.C.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

ST. REINOLD: CAVALEIRO, PEREGRINO, MONGE, MAÇOM E SANTO

Fonte: Pedra Oculta
St. Reinold acredita-se ter sido um mártir religioso que viveu por volta de 980 a.C., ele teria sido morto pelas mãos de companheiros de ofício pedreiros[1] e posteriormente viria a ser idolatrado como santo padroeiro deste ofício. Existem várias versões de sua vida e martírio.  St. Reinhold poderia ter sido um monge, um cavaleiro, um peregrino ou até mesmo todos os três. Sua história pode ter se originado da vida de várias pessoas diferentes numa confluência de mitos e lendas. Mesmo sua morte pode ter tido várias versões ou motivos.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

HIRAM: O IRMÃO EXALTADO DE SALOMÃO

A Morte de Absalão
APRESENTAÇÃO
Por que Hiram Abiff foi tão importante a ponto de seu nome, e não o de um rei ilustre como Salomão, ser reverenciado no mundo maçônico por quase 3.000 anos? Uma tentativa de resposta pode ser dada a essa pergunta e, embora essa explicação seja baseada mais em evidências circunstanciais do que em fatos, é um enredo que daria certa lógica a respeito da história dessa época.
A seguir a história maçônica de Hiram AbiffHiram não era simplesmente um arquiteto secular (exotérico), era também um arquiteto de alto escalão maçônico (esotérico), supostamente, uma das três pessoas do mundo que guardavam os verdadeiros segredos da Maçonaria. No entanto, enquanto trabalhava na construção do Templo de Salomão, três rufiões tentaram forçá-lo a contar tais segredos. Por alguma razão não explícita pela Tradição Maçônica, todos esses homens tinham em seus nomes o prefixo “Jubel”. Durante a peleja que se seguiu com essas pessoas, Hiram Abiff foi morto com três golpes na cabeça, tendo seu corpo sido ocultado. Alguns de seus companheiros maçons mais tarde encontraram seu corpo e voltaram imediatamente para contar tudo ao Rei Salomão, o rei ordenou que o corpo de Hiram fosse sepultado com todos os direitos que seu cargo lhe conferia.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

USAIN BOLT NÃO É MAÇOM

Por Kennyo Smail
Depois de Mandela e Obama, agora é a vez de Usain Bolt, atleta jamaicano colecionador de recordes e títulos, embalado pelo destaque midiático durante os Jogos Olímpicos Rio 2016, ser transformado em maçom pela ânsia de alguns maçons em ter irmãos famosos.
Incontáveis postagens de irmãos no facebook e em grupos de whatsapp têm propagado essa estória, de que Bolt é membro da Grande Loja Distrital da Jamaica, subordinada à Grande Loja Unida da Inglaterra. E os comentários de que “daqui a pouco nosso irmão Bolt irá correr”, “Bolt mostrou o anel a alguém da arquibancada”, “grande irmão, livre e de bons costumes”, “excelente exemplo de irmão”, “ser maçom faz a diferença”, “mais um irmão fazendo a diferença no mundo”, e até mesmo um que afirma que “aqueles que entendem de sinais, toques e palavras perceberam há muito tempo que ele é da Ordem… ninguém percebeu que ele se identificou aqui no Brasil?” vão fecundando ainda mais a mente fértil de quem quer acreditar que todo famoso é seu irmão, e para isso consegue enxergar sinais com a mesma facilidade de ver animais desenhados nas nuvens.

Bom, já que informaram até a Grande Loja em que supostamente Usain Bolt é filiado, fica fácil confirmar essa informação.
 A resposta, curta e clara, não demorou duas horas para chegar, via Grande Secretário Distrital da Grande Loja Distrital da Jamaica:
TRADUZINDO: ELE NÃO É MAÇOM

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

O MAÇOM VAIDOSO E ARROGANTE

Baixa auto-estima e complexo de inferioridade
Nenhum ditador provocou ou vem provocando tanto dano à Maçonaria quanto o maçom vaidoso, esse sapador inveterado, este Cavalo de Troia que a destrói por dentro sem o emprego de armas, grilhões, ferros, calabouços e leis de exceção. Ele é indiscutivelmente o maior inimigo da Maçonaria, o mais nefasto dos impostores, o principal destruidor de lojas. Ele é pior do que todos os falsos maçons reunidos porque se iguala a eles em tudo o que não presta e raramente em alguma virtude.

ASSUERO: O REI NÃO CONSEGUIA DORMIR

No começo do capítulo 6, ficamos sabendo que o rei, a quem o cetro fora concedido, não estava conseguindo dormir à noite. Se o rei tivesse conseguido dormir, Mordecai provavelmente teria sido executado e Hamã teria conseguido agir com autoridade. Mas Deus não havia planejado as coisas assim. Primeiro era necessário que Mordecai fosse poupado, e que o orgulhoso Hamã fosse humilhado e preparado para sua própria execução.
Quando foram lidas as crônicas diante do rei insone, achou-se escrito que certa vez Mordecai tinha salvado a vida de Assuero. Então o rei perguntou: “Que honras e distinções se deram a Mordecai por isso?” (Ester 6.3). Semelhantemente aos nossos dias, esse fato havia-se perdido em meio à burocracia do reino: “Nada lhe foi conferido” (v. 3), foi a resposta do servo.

domingo, 14 de agosto de 2016

HUZZÉ E A BARCA DE RÁ

 A MITOLOGIA EGÍPCIA
Os povos da antiguidade, os egípcios certamente são os mais estudados. Mesmo antes da descoberta da Pedra da Roseta, em 1799, a cultura egípcia já desafiava a curiosidade dos exploradores europeus. Riquíssima em personagens que possivelmente provêm de períodos anteriores ao dinástico (c. 3.100 a.C.), a mitologia egípcia sempre foi pródiga na criação de divindades, heróis, vilões e lendas para explicar não só acontecimentos corriqueiros do dia-a-dia, mas também para dar uma dimensão mágica às questões religiosas e espirituais.

sábado, 13 de agosto de 2016

ENTRE O VERMELHO DA PAIXÃO E O PRETO DOS CARBONÁRIOS

Por  Leslie Baumann - Tradução de José Filardo

Percorrendo a Europa na esteira de Napoleão Bonaparte, apaixonado eterno de mulheres, onde cada uma era um reduto a conquistar, Stendhal escreveu muito mais do que a posteridade conservou, mas, por vezes, foi acusado de plágio … o que não é nada surpreendente, pois Henri Beyle, conhecido como Stendhal adorava destruir as pistas. Segundo as fontes, ele usou entre 70 e 100 pseudônimos diferentes para a publicação de seus livros e artigos, mas também como um jogo de sua vida cotidiana, pelo prazer de enganar. Através de suas obras, ele trazia à tona suas ideias republicanas e denunciava o obscurantismo político.

147 ANOS DA LOJA “PERSEVERANÇA III”, DE SOROCABA – LEMA: LIBERDADE E EDUCAÇÃO

Por Barbosa Nunes


Com a honra de estar em exercício do Grão-Mestrado Geral do Grande Oriente do Brasil, estive presente no dia 1° de agosto, último, em sessão comemorativa dos 147 anos de fundação da Loja Maçônica “Perseverança III”, de Sorocaba, São Paulo. Sorocaba cidade pólo com aproximadamente 600 mil habitantes, distante 84 quilômetros da capital paulista. É maçonicamente referência nacional e internacional.
Templo lotado com as maiores autoridades maçônicas do Grande Oriente de São Paulo, cunhadas, sobrinhos e visitantes. Registro o maçom e prefeito municipal, Antônio Carlos Panuzio. Agradeço ao Venerável Mestre Rubens Cury Barso a acolhida fraternal de sempre dos irmãos desta histórica Loja, que tem como símbolo Laelso Rodrigues, pessoa querida em todo Grande Oriente do Brasil. Me cercou carinhosamente durante o tempo em que lá permaneci. Revi duas amigas que aprendi desde longo tempo, muito a gostar, Márcia Rodrigues, presidente da Liga Sorocabana de Combate ao Câncer e Zuremar Cury Barso, presidente da Fraternidade Feminina da Loja.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

O OLHO DE HÓRUS

Fonte:opontodentrodocirculo.wordpress.com
O Olho de Hórus, este documentário tão antigo quanto impressionante mostra a história de uma suposta organização sacerdotal hermética, pertencentes à escola de mistérios conhecida como Olho de Hórus. Esta escola teria sido responsável pela orientação espiritual e a direção dos destinos do povo egípcio durante milhares de anos.
Seu objetivo principal teria sido o de promover a elevação do nível de consciência daquele povo através, principalmente, da construção de diversos templos sagrados ao longo das margens do rio Nilo. Além disso, tais sacerdotes eram os zelosos guardiões da sabedoria acumulada desde tempos imemoriais, quando ainda existia o continente perdido da Atlântida.

O RAMO DE ACÁCIA

Por Jose SR - Fonte: A Partir Pedra
Quem me conhece sabe que não sou dado a grandes explicações simbólicas, nem tão pouco tenho seguido a via do esoterismo.
Acredito que as coisas têm um fundamento e que esse fundamento poderá ser encontrado na História, nos Usos e Costumes, ou em Livros Sagrados.
O que fazemos com as coisas pode derivar da interpretação dada, tenha ela sido a mais correta ou não, ou simplesmente diferente.
Hoje decidi pegar na Acácia.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

CONSIDERANDO A MÉDIA DE IDADE DOS MAÇONS…

Por Larry Schwartz  - Tradução José Filardo
7 fatos sobre a próstata que todos os homens (e as mulheres que os amam) precisam saber
Todos os homens terão, mais cedo ou mais tarde, que lidar com esta glândula traquinas
Se existe um órgão que provoca críticas mistas de homens em todos os lugares, é a próstata. A próstata é a glândula que produz o sémen, o meio fluido que protege e nutre as células de esperma. De um lado, a próstata pode ser uma parte integrante de qualquer orgasmo  intensamente prazeroso . Por outro lado, diferente do câncer de pele, nenhum outro câncer é tão presente em homens que o câncer de próstata, que atinge 1 em 7 homens em suas vidas. Se você é Afro descendente, suas chances são ainda maiores de que você sofrerá (e 2,5 vezes mais provável que você vá morrer dele). Em geral,  mais de 180 mil  homens desenvolverão esse tipo de câncer em 2016, e desses, mais de 25 mil morrerão da doença. A má notícia para os homens sobre o câncer de próstata é que quanto mais você envelhece, mais provável é que você vá desenvolvê-lo. A boa notícia é que suas chances de sobrevivência são realmente bastante decentes.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

O SEGREDO DA MAÇONARIA

Por João Anatalino
A lenda da Palavra Perdida 
A Lenda da Palavra Perdida é uma alegoria cabalística, provavelmente criada pelos autores gnósticos dos primeiros séculos da era cristã. Ela tem como tema central a crença no poder do Nome Sagrado de Deus e que este era um segredo iniciático da maior relevância. Embora os sacerdotes da religião judaica já trabalhassem com esse tema desde os primórdios da adoção do Javismo como religião nacional, foi, entretanto, com o entrelaçamento das crenças judaicas com a filosofia grega, que o tema ganhou maior relevância e passou a integrar o conjunto das alegorias que davam corpo á doutrina que nós hoje conhecemos como gnosticismo.

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

CERIMÔNIA DE INICIAÇÃO E INICIAÇÃO

Como é sabido, a admissão na Maçonaria ocorre através de uma Cerimônia de Iniciação do interessado. Através dessa Cerimônia, o interessado adquire formalmente a condição de maçom. Mas adquire em que termos? É maçom enquanto continuar a integrar uma Obediência maçônica, ou a aquisição dessa qualidade é vitalícia, isto é, perdura mesmo que a pessoa em causa abandone a Maçonaria ou dela seja expulsa ou excluída?
Os defensores da primeira alternativa consideram que a admissão na Maçonaria pressupõe a aceitação das regras vigentes na mesma, designadamente na Obediência em que ocorre a integração, e que essas regras, consubstanciadas normalmente em regulamento, estatuto ou equivalente conjunto de normas, estipulam que aquele que abandone a Maçonaria ou dela seja expulso ou excluído perde a qualidade de maçom. Quem estiver abrangido por qualquer destas situações será um ex-maçom.